jueves, 23 de marzo de 2017

Mates Terças no Lisboa!

Persegue-me a maldição das mais más espécies
Puta que o pariu

Que me carregue o diabo


Foda-se


Caralho

Outra vez perdi a minha “erva”
Que idiota!!! Sempre o mesmo
Sempre culpa minha

-Mas… sabes que mais?-

-Espero que a encontres-

Não… não~

Fico longe

Já não vou voltar
Já a dei por perdida

Que vá à merda
Tudo… tudo à merda
Que o vento leve ao teu ouvido este enxovalho que disparo ao ar

Perdi a minha erva caralho!!!!!!!!!!!!!!!!!

De novo perdi a minha erva!!!!!!!!!!!!!!!

-E sabes que mais…?-

Oxalá a encontres… os enroles e os queimes um em cada lugar…
Que fumes saboroso e grátis como nunca
E que te apanhe assim como a mim me apanha
Bem psicotóxico
Bem mambeado – bem tontinho
Oxalá que viajes… oxalá sintas como eu sinto a pele eriçar-se…
Oxalá te faça rir…
Oxalá chegues à tua mais reflexiva verdade de busca
Oxalá disfrutes do sol e tenhas óculos para que o sol não encandeie os teus olhos…

Oxalá que enroles um gigante… desses potentes… que te dêem a volta à cabeça…
E tussas com força… cuspindo todo um exorcismo em línguas do inferno…


Oxalá nesse momento estejas ouvindo música

Sim

…a tua música favorita no mundo

Oxalá te sintas tonto e tenhas de fechar os olhos e procurar encostar-te comodamente
Oxalá, que a meio do mambeio, voes tão longe que te ausentas da tua extasiada mente…

E num sussurro escutes a tua respiração e o som do teu coração
Ouves de novo como nunca escutaste…
E entendes.

COMPLETA-MENTE-IN-TO-XI-CADO 

 no chão,

Com a língua de fora, sorridente e coberto de baba branca…

Os teus batimentos acusam que ainda estás vivo, viajado e feliz

Oxalá fumes e ris com os teus amigos… um em minha honra… e agradeças ao teu deus anónimo
Bendita a tua sorte de encontrar o meu tesouro de gemas verdes –

Oxalá tudo isto o encontres num mau dia…
Nesse banco da rua Marquês da Silva, miradouro Penha de França no mais alto de Lisboa

E eu lixo-me nesta puta má sorte

No hay comentarios:

Publicar un comentario